quarta-feira, 22 de abril de 2009

Resposta a adivinha + Setúbal


Boa noite e tal com o prometido a imagem que foi colocada à dias e apesar de uma tentativa... a imagem é de um ex-atleta do Sporting descubram mais aqui. Boas pesquisas!!!

Sobre Moniz Pereira haveria muito para dizer e escrever mas no essencial o seguinte: foi, é e continuará a ser a sumidade em Atletismo e sobre ele devemos tudo no que concerne as nossas glórias passadas, presentes e do futuro. Mais sobre este grande homem daqui a poucos dias...

Setúbal: o objectivo, a meta. Setúbal: a cidade.

O topónimo
Desconhece-se a origem do topónimo 'Setúbal'. O topónimo já existe em 'Cetóbriga' (Cetoba ou Cetobra + designação celta briga para povoação). A exemplo de outras cidades ibéricas e do sul da Europa, o topónimo 'Setúbal' pode estar relacionado com o topónimo do rio que banha a povoação, referido pelo geógrafo árabe Edrisi (Muhammad Al-Idrisi), como denominar-se Xetubre (sendo esta a tese do Prof. José Hermano Saraiva). Seja como for, o topónimo ‘Setúbal’ e a cidade perdem-se no rasto dos tempos.

Paleolítico

O povoamento mais antigo diz respeito ao Paleolítico Inferior e foi encontrado em Belverde, entre o estuário do Tejo e ao cordilheira da Arrábida e forneceu, em Santa Marta de Corroios, Quinta do Peru, Quinta dos Arcos e Basteza da Mó, calhaus achatados que teriam recebido a acção humana. Comunidades de Homo Erectus terão produzido instrumentos simples, polivalentes, constituídos por seixos rolados e achatados, com gumes afiados.

Existem outros achados de uma época posterior que não deixam dúvidas quanto à presença humana: nos terraços do Tejo (concelhos de Alcochete e Montijo) e nas praias da costa sul da Península (concelho de Sesimbra). 
O Paleolítico Médio também se encontra bem representado nos terraços do Tejo e nas praias do litoral, onde foram recolhidas ferramentas cuja autoria terá pertencido a comunidades de Homo Sapiens Neanderhalensis, das quais se destacam as jazidas da gruta da Figueira Brava (concelho de Setúbal).


Mesolítico

Este período encontra-se bem representado no vale do Sado, tendo as suas margens e afluentes servido de suporte a algumas comunidades recolectoras, caçadoras e pescadoras, inseridas num meio de grande produtividade biológica. Os seus povoados (concheiros), dividiam-se entre o habitat e a necrópole. No Mesolítico final, os grupos humanos do vale do Sado adoptaram a cerâmica, uma inovação útil à sua economia, que consistia em recipientes geométricos, decorados por vários motivos.

Os estudos revelam uma ausência de fauna doméstica, havendo predominância de animais selvagens. Estes achados, aliados ao aspecto das clareiras encontradas, sugerem que a ocupação acontecia no Outono e Inverno. No concelho de Alcácer do Sal foram encontrados espécies de peixes que entrariam no estuário do Sado para a desova, durante os meses de Abril, Agosto, Junho a Setembro. 
É possível que e as comunidades adoptassem um tipo de povoamento de acordo com a possibilidade de exploração dos recursos naturais existentes.

E amanhã há mais vejam se sabem quem está na imagem acima...

Hasta

2 Comentários:

Às 23 de abril de 2009 às 23:27 , Blogger joaquim adelino disse...

Vótos de sucesso para as provas mencionadas, principalmente a de Setúbal.
Abraço.

 
Às 24 de abril de 2009 às 20:53 , Blogger Maratona das Cataratas do Iguaçu disse...

Galera da Corrida do Tejo!

Estamos seguindo e lendo seu blog. Inclusive colocamos entre nossos favoritos. Convidamos você, para conhecer nosso blog. Se quiser seguir, para nos será um prazer.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

Who links to my website?
hit counters
hit counter